18 maio 2006

envie ainda hoje uma resposta para a revista Veja - faça sua parte!

Você sabia que a Veja mantém (e publica) um ranking das matérias que mais geraram respostas de seus leitores? Enviar uma resposta antes do fechamento da edição desta semana (que deve ser hoje ou amanhã) pode ser particularmente interessante. Mas não envie mail bombs ou mensagens automáticas - siga a política de publicação da própria revista, e garanta maior chance de que nossa mensagem possa ser lida.

Temos pressa! Se você puder, envie o link desta campanha ou cópia deste post *imediatamente* (mas apenas uma vez, e de forma educada) para as listas de software livre de que você faz parte, publique em seu site ou blog, avise para seus amigos em serviços de mensagens instantâneas ou comunidades virtuais, ou envie como sugestão de notícia para outros sites: uma resposta clara e apoiada por muitos pode ser uma das melhores opções ao nosso alcance neste momento. Se o administrador da lista reclamar com você sobre o envio, pode direcioná-lo para conversar comigo, e terei prazer em atendê-lo e discutir o assunto com ele.

Autoridades do governo brasileiro estão empenhadas em nos fornecer dados que permitam refutar de forma objetiva a matéria 'Opção de Lula pelo software livre atrasa o país'. Entretanto, para garantir que haja uma resposta objetiva (e com chances reais de vir a ser publicada, ao menos na seção de cartas), acredito que temos plenas condições de defender desde já, no mínimo, a distinção entre software livre e política governamental de informática. Quando chegar a prometida resposta da SLTI, enviaremos nova mensagem.

Eu já enviei meu e-mail para a redação da Veja. Ele é curto, não ataca a revista, não confronta seus argumentos (pretendo fazer isto com vigor, mas apenas depois de receber os dados com que o Governo gentilmente se dispôs a nos municiar), mas tem foco em um ponto específico: afirmar que a reportagem não tratou com justiça o movimento do software livre, que vai além de governos e partidos. O texto que enviei está reproduzido abaixo, e coloco-o em domínio público: você pode reaproveité-lo, na íntegra ou não, alterado ou não, sem citar a fonte, na hora de enviar sua mensagem para o endereço veja@abril.com.br. Segue o texto:

----
Assunto: software livre vai muito além de aspectos políticos e partidários

À redação da revista Veja:

Sobre sua matéria "Opção de Lula pelo software livre atrasa o país", gostaria de registrar que o software livre é um modelo de desenvolvimento colaborativo em franco crescimento em todo o mundo, sendo inclusive o responsável pela maior parte da infra-estrutura da WWW (o popular servidor livre Apache e o interpretador livre PHP são encontrados até mesmo na infra-estrutura do website de Veja) e vem sendo encontrado em escala cada vez maior nos computadores dos usuários domésticos, com aplicativos de popularidade ascendente como o OpenOffice e o navegador Firefox.

Não posso responder pela política de software do governo federal, embora acredite que ele nos dará condições e dados que permitam rebater também as críticas que foram feitas à sua política de adoção do software livre. Mas gostaria de registrar meu descontentamento pela maneira como os dois assuntos foram misturados, o que acabou refletindo de forma extremamente negativa sobre um movimento mundial que é, por natureza, independente de ideologias externas ou de correntes partidárias.

As centenas de comentários de leitores de sites e fóruns especializados no tema, criticando a forma como o assunto foi coberto em Veja na semana passada me dão a certeza de que a inclusão de uma análise sobre a presença do software livre no dia-a-dia dos chamados "usuários comuns" seria uma adição válida à pauta de futuras edições da revista.

Atenciosamente,
[nome completo]
[número da carteira de identidade]
[telefone]
----

O número do RG e do telefone são exigências da revista para que a mensagem seja considerada para publicação na Seção de Cartas.

Faça sua parte! Expresse sua opinião, deixe claro que o software livre vai muito além do que foi mostrado. E continue apoiando a política de adoção do software livre por todas as instâncias governamentais, partidos e ideologias.

8 comentários:

Agent Orange 10:57 PM  

Tens o mail da redação da Veja?

Monthiel 11:19 PM  

O e-mail é: veja@abril.com.br

Vamos participar!

Agent Orange 11:53 PM  

E-mail enviado!Quero dizer também que tomei a liberdade de postar em meu blog, que está apenas começando seu post do planeta, é claro, com o devido crédito.

Abs.

sergiotucano 8:00 AM  

Agora o Governo publicou uma resposta oficial.

No meu blog ou no Br-Linux e em outros sites por ai já da para ler...

FALOW !!

Alexandre 9:17 PM  

Ótima iniciativa. Mandei o meu. Não tenho culpa da imcompetência do governo. Não aceito é que falem mal da coisa toda só por causa da birra entre a veja e a quadrilha que manda no país.

Monthiel 11:57 PM  

Nenhum de nós tem culpa, mas os malditos não percebem isso, eles querem mais é enriquecer mais e mais...

Anônimo,  1:05 AM  

Legal, foi bom vc ter colocado a nota, me incentivou. Mandei um email tbém. Só quero ver se sai algum comentário na prox edição.
Cláudio Hernandes

Naro Pero 7:03 PM  

Bem vi aqui muitas opiniões é um facto mas tudo isto revoltame.Mas o facto é que os autores estão aqui e os resultados estão aí. Conto-vos a história de uma geração, nem melhor, nem pior que as outras. Não sei em quem começa e em quem acaba - ou talvez não - mas prefiro a falsa ignorância à especulação mesquinha. Apenas chamo a atenção para um grupo que partilha um conjunto de interesses, talvez, diferentes da maioria, supostamente, desinteressada.
Ontem vi o novo programa da TVI, "A Bela e o Mestre". A dada altura, face a uma pergunta da pivôt sobre a ignorância das "belas" concorrentes, o membro argentino do júri defendeu a ideia de que elas não sabem identificar quem é o Fidel Castro, o Camões e o Bocage porque simplesmente não precisam de o saber, já que só as mamas e o cu interessam na sua área. Concordo, em parte, com a teoria, mas não relativamente ao conhecimento geral. O conhecimento particular, esse sim. Por vezes não nos interessa, dá-nos sono. Este tipo de selecção e filtragem da cultura é algo que faz parte da natureza do homem, mas aplica-se mais a uns do que outros. Ou seja no voso caso pelo que posso constatar não se aplica de forma alguma. Mas fica aqui o convite para virem ao meu Blog e deixarem as vossas opinioês, espero é que pensem bem no que vão dizer, espero mesmo...

Postar um comentário

Deixe seu comentário, fique a vontade
Comentários anônimos serão apagados
Divulgue esse blog, assine nosso feed

About This Blog

Ultimos Artigos

  © Blogger templates The Professional Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP